sexta-feira, 27 de maio de 2011

7

A volta ao trabalho e a escolha da Escola

Quando se decide por voltar ao trabalho após a licença maternidade, há de se ter certeza de que nada será como antes: haverá, mais do que nunca - uma urgência para se voltar para casa, haverá medos de que o bebê pare de mamar ou que ele durma tão logo você chegue, de forma que você não possa curti-lo, haverá - principalmente - a preocupação quanto ao bem-estar do bebê na sua ausência. E é sobre esse último aspecto que quero falar neste post.

A princípio, é necessário decidir com quem o bebê vai ficar: avó, babá, escola ou creche, etc. Há pontos positivos e negativos em cada uma das escolhas, como tudo na vida. Vou me ater, então, a falar sobre a minha decisão; a de matricular o Miguel numa escola.



A meu ver, como mãe e como psicopedagoga, escola é o lugar ideal para a criança, pois é onde ela receberá mais estímulos para o desenvolvimento, principalmente por conta da socialização. O contato com outras crianças, com um ambiente lúdico e com profissionais preparados para educar são de grande valia!

Mas como escolher essa escola? Como ter certeza de deixar o seu bem mais precioso num local adequadíssimo, onde haverá - de fato - carinho, segurança e muito estímulo, para que o pequeno se desenvolva feliz?

Certamente não há uma receita prontinha. Tudo vai variar de acordo com a necesidade (e com as possibilidades financeiras, claro) de cada família. Mesmo assim, vou me atrever aqui a falar de tudo (ou quase tudo) em que eu prestei atenção ao escolher a escola do meu filho.

Há algum tempo, conversando sobre isso com a querida Bruna, mamãe do Pedrinho, recebi dela um e-mail com dicas preciosas. Juntei essas dicas às minhas preocupações e criei um Check List que levei a todas as escolas que visitei, até encontrar o local ideal. Peço licença a Bruna, que TANTO me ajudou, e apresento a vocês esse Check List que, espero, pode ajudar muito a quem decidir deixar o baby em escola / berçário / creche.

1- Número de cuidadoras por bebê
Há uma regulamentação que diz que a partir de 7 bebês a cuidadora deve ter uma auxiliar. Isso é ABSURDO. Óbvio que os bebês ficarão chorando! O ideal é que haja ao menos 1 cuidadora para cada 2 bebês. Eu procurei muito, mas encontrei - na escola do Miguel - 2 cuidadoras para 3 bebês. Excelente!

2- Berços individuais
Básico, mas não é assim em toda escola. O berço individual, além de obviamente mais higiênico, possibilita que a mãe o enfeite com a carinha de casa e do bebê. Isso dará segurança ao pequeno.

3- Roupas de cama de casa
Pode parecer um trabalho a mais para a mãe, mas o cheirinho de casa é muito importante para o bebê. Ele ficará mais seguro e confortável.

4- Rotina do berçário
É imprescindível que haja um cronograma diário de atividades e que você, mãe, tenha acesso a ele. É a garantia de que seu bebê será realmente estimulado para o desenvolvimento e não ficará no bercinho o dia todo. É importante, também, que esse cronograma seja reajustado conforme a necessidade de cada bebê. Afinal, levar um bebê com sono para a salinha de psicomotricidade não vai adiantar nada!

5- Banheiras individuais
O ideal é que haja uma banheira só para o seu bebê e que ela seja limpa com álcool 70% a cada banho. Banheira não é algo que deve ser compartilhado!

6- Banheiros exclusivos para crianças (adaptados com vasos baixos), facilitando o desfralde.
Repare, também, se o banheiro está impecável e cheirosinho. Higiene é fundamental.

7- Incentivo ao desfralde
Pergunte se eles ajudam. A resposta deve ser: "Sim. Isso tem de ser feito em parceria entre escola e família. Temos de respeitar o tempo de cada criança, mas a partir de 1 ano e meio - no máximo - já começamos a incentivar."

8- Formação das cuidadoras
O que acontece na maioria das escolas é que a proprietária é alguém de excelente nível cultural, mas o mesmo não ocorre com as cuidadoras. Daí que é também com elas (e não somente com você) que seu bebê vai aprender a falar, a ter bons hábitos, a se alimentar adequadamente, etc. Você precisa conhecer e aprovar essas pessoas. O ideal é que sejam pedagogas. Se não for possível, avalie o nível cultural, os hábitos, o modo como falam. Na escola do Miguel, as proprietárias é que cuidam do berçário: uma pedagoga, uma nutricionista (que ficam full time com os bebês) e uma psicóloga (responsável pela hora do conto e pelas atividades de musicalização).

9- Área exclusiva para o berçário
Crianças maiores não devem ter acesso por questões de higiene, segurança e até porque doenças simples são diferentes para cada faixa etária.

10- Geladeira organizada
O ideal é que lhe mostrem a geladeira. Se não o fizerem, peça para ver. Repare se todos os alimentos estão identificados e se não há, por exemplo, iogurtes abertos, mamadeiras com resto de leite, frutas cortadas e não embaladas. Alimentos abertos contaminam os demais. Resto de leite não deve ser guardado. Questão de higiene e segurança.

11- Pertences identificados
Os pertences de cada criança devem ser identificados (leite, produtos de higiene). As embalagens vazias devem ser enviadas para casa, para que a mãe veja que acabou e reponha.

12- Crianças em atividade
Ao entrar nas salinhas, veja se as crianças não estão ociosas. Além de desmotivador, isso não incentiva o desenvolvimento.

13- Claridade e decoração
Repare se a escola é clarinha, bem iluminada e arejada e se as paredes são decoradas com motivos infantis e trabalhinhos feitos pela criança. Um ambiente lúdico é muito importante!

14- Regulamentação
Na secretaria,  pergunte sobre a regulamentação da escola e a qual delegacia de ensino ela pertence. Depois vá à delegacia e veja se a escola é fiscalizada regularmente e se não há queixas contra ela.

15- Segurança
Veja se qualquer pessoa (visitantes, por exemplo) tem acesso às crianças. O ideal é que não tenha (abro parêntesis para contar que, antes, eu achava que boa era a escola que atendia visitantes a qualquer hora do dia. Mudei de opinião. Por questão de segurança, o melhor é que as visitas sejam agendadas, de preferência em horários de menos movimentos. Por exemplo, ao final do dia, quando há poucas crianças na escola. Por um lado, vc não vai ver a escola em funcionamento de fato. Por outro, a segurança de seu filho estará garantida. A escola do Miguel só atende a visitantes após as 18h. Contudo, depois de me conhecerem, disseram que posso passar por lá qualquer dia para ver a escola em funcionamento normal, durante o dia, e me convidaram para a festa junina que acontecerá no mês que vem. Ou seja, percebi que a preocupação deles é mesmo com a segurança e não com esconder o real funcionamento da escola). Veja como é feita a saída das crianças (da mesma maneira, o ideal é que as crianças sejam levadas até a porta e que os pais a esperem lá, do lado de fora. Além disso, veja se a escola só entrega a crianças a quem a mãe autorizou. Na escola do Miguel, eu devo apresentar a eles pessoalmente e deixar cópias de documentos das pessoas que podem pegá-lo. Caso contrário, eles não entregam nem se eu ligar e pedir.).

16- Higiene
Em toda a escola, repare se há lixeiras fechadas, mas de fácil acesso para as crianças, e se corredores, salas de aula, brinquedos, chão onde os bebês brincam, mobília, pátio e cozinha estão impecáveis.

17- Acesso à escola
Avalie a possibilidade de matricular o seu filho numa escola próxima à sua casa, ao seu trabalho ou no caminho entre esses dois lugares. Isso facilitará a logística! Eu optei por matricular o Miguel próximo à minha casa por dois motivos: primeiro para evitar submetê-lo ao stress do trânsito todos os dias, na ida e na volta. Segundo porque minha mãe e minha sogra moram bem pertinho da escola e, no caso de uma emergência, chegarão mais rápido do que se eu tivesse de pegá-lo próximo ao trabalho.

18- Crianças com febre
Veja se a escola aceita crianças com febre. O ideal é que NÃO aceite; que peça aos pais que não levem crianças doentes para a escola. Por um lado, é ruim porque você terá de ter um plano B para os dias em que seu pequeno estiver dodói. Por outro lado, essa medida garante que ele ficará dodói muito menos! E isso conta muitíssimo.

19- Horário / Calendário da escola
Algumas escolas funcionam durante todo o ano e em horário bastantes flexível (até de 6h30 as 20h). Outras funcionam de 7h30 as 18h ou 18h30 e fecham em época de férias escolares. É bom que você esteja ciente disso antes de fazer a matrícula do seu filho.

20- Seu coração
As dicas acima são - a meu ver - importantes. Mas esta é a mais importante de todas: SIGA O SEU CORAÇÃO. Certamente ele vai lhe indicar a melhor opção. Confie. Coração de mãe não se engana!

Espero ter ajudado.

Ahh não se esqueçam de colaborar com o meu post da próxima semana. A contribuição de cada uma de vocês será preciosa!

Beijosss,

7 comentários:

  1. Excelente post Tati! Suas dicas são muito importantes para escolher o local para deixar o bebê, afinal nossos filhos merecem nada menos que o melhor...Quando voltar a trabalhar com certeza consultarei aqui novamente.

    ResponderExcluir
  2. que bom que ajudei!
    Foi ótima a idéia de ter dividido o check list aqui!
    Beijos
    Bru

    ResponderExcluir
  3. ainda bem q faço parte do blog, pq ñ quero perder essa check list^^

    ResponderExcluir
  4. Eu tb Carol! Visitei escolas em janeiro, mas estou repassando todos os ítens da lista sobre o que sei da instiuição. Isso é muito importante. Adorei o post Tati!
    bjs

    ResponderExcluir
  5. adorei as dicas, to super preocupada com isso

    ResponderExcluir
  6. Tati, maravilhosas as suas dicas, mais a principio não vou deixar o Pedro em escola, todas que valem a pena são muito caras e não posso pagar por elas, tenho duas opções a minha sogra vir pra minha casa ficar com o Pedro, ou deixar ele com a Bel ( de total confiança), mãe de uma amiga que cuida de crianças!!

    ResponderExcluir
  7. não deixaram passar nada hein! muito bom o check list!

    ResponderExcluir